Loading...

Grenal, ora!

Grenal, ora!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Desfile Farroupilha


Como eu vivo reclamando que aqui o show não é business, até que fiquei de certa forma otimista quando vi no ano passado essa nova idéia de desfile, uma coisa meio vanerãobódromo. Casualmente no mesmo lugar em que implicaram com o desfile do carnaval, mandando os negros lá pra Zona Norte. E pelas mesmas razões. Desfiles ali naquela área prejudica a natureza.
Mas enfim... vi ali empregos para muitos bailarinos, coreógrafos, atores, a coisa poderia andar. Embora sempre duvide da inteligência do poder público em fazer chover grana para artistas aqui por estas terras. Que não acreditam em arte, cultura, turismo, etc.
O amor durou pouco. Nesse ano, assim que liguei a tv (adiantaram o desfile em um dia, descobri por acaso, naquelas de zapear), e:
????!!!!!!!Um cara pega uma pobre ovelha de olhar assustado, apavorado e tira a sua lã! O bicho meio que escorregava e o cara a pegava de um jeito brusco. Desliguei na hora.
Não sei como funciona esse negócio de tirar lã, não sei quem hoje em dia ainda usa lã com tanto material sintético, e tanta alergia à lã, não sei e não quero saber.
Mas em plena época em que se discute as touradas na Catalunha, e pelo mundo, em que precisamos mais do que nunca dar exemplos de bondade e respeito ao meio ambiente aos nossos jovens e crianças para que a hecatombe não dispare mais ainda... em que tantos artistas andam por aí desempregados, me digam de quem foi a desgraçada idéia de achar que isso é espetáculo?...
O pior é que vi que deve ser moda, em alguns caminhões de desfiles em outras cidades lá pelas tantas aparecia alguém fazendo o mesmo.
Tô pouco me lixando pra toda essa coisa dos Farrapos. Pois são os mesmos latifundiários de sempre - desse tempo e daquele - que comandam o povo, que adora ir atrás de lindas palavras de ordem como igualdade e liberdade. Vi declamadores exaltados com "lutaram para defender a igualdade que temos agora"(???quem cara pálida?) e gente de olhos brilhantes concordando. Que Revolução? meteram os negros a levar chumbo, tavam se lixando pra qualquer coisa que significasse mesmo um passo à frente nos costumes, como a própria escravatura, as mulheres, que continuavam pobres coitadas, os pobres que decerto eram recrutados na marra, tanto por um lado quanto pelo outro, uma insurreição de iguais, que eram incompetentes pra lutar pelo mercado como os argentinos, enfim... que nem se multiplicava em outras rebeliões, como no Norte, e muito menos trazia valores libertários como as ocorridas no Norte mais ao Norte.
Mas tirar a lã da ovelha... que espetáculo dantesco, repugante. Sem contar as centenas de animais mortos, milhares talvez, para o sanguinolento cardápio da população que mais fica obesa no Brasil, a que mais tem depressão e que morre de câncer de mama. Ôigale!
Afinal, o que é mesmo ser gaúcho?
E olha que quase me esqueço daqueles pelo menos três tiros que foram disparados em cima (e não acertaram, felizmente) do gaúcho gay que se veio pronto para desfilar de bombacha cor de rosa.

Sinceridade?... Em plena Era da Televisão, com o Carnaval dando o lucro que dá, faz de conta por faz de conta...
Quem é que iria reclamar de sair, não digo rebolando de teta de fora em cima de carro alegórico ou gaúcho de sunguinha todo prateado, mas numa boa chimarrita, até já fizeram os carros, numa produção de primeira, com tvs mandando a festa para todo o Brasil, e mundo, turistas invadindo por uma semana a cidade, empregos para bailarinos, e até para roteiristas, pois não precisamos ficar contando essa mentira bôba de uma coisa meia boca que nem aconteceu, podemos criar boas histórias, mostrar as nossas lendas, enfim valorizar cada artista em cada área, e aí sim a nossa cultura, a nossa capacidade de produzir boa cultura, aí quem sabe, e com muita humildade depois de aprender com quem sabe fazer o show, pudéssemos até nos orgulhar de ser gaúchos.
Poderiam ter alguns próceres cavalgando aqui e ali, pitadas de realidade, e eles ajudariam nos patrocínios para aparecer, claro.
Também dispensaria brigadianos e outros que tais, que já têm o sete de setembro para aparecer.
Não dispensaria ongs, escolas, associações, todos que fazem parte de um Rio Grande bonito. Até incluiria os seus trabalhos, costureiras do Morro da Cruz, em cenários, o pessoal das escolas de samba, emprego o ano inteiro, figurinos, profissionais...
Mas aquela quantidade de produtores rurais amadores não mandariam mais, infelizmente pra eles, no desfile.
Incluiria talvez, de vez em quando, um que outro grupo que tenha lutado contra imperialismo e impérios, ditaduras... que também fica a sugestão: o povo da resistência heróica contra a ditadura tem que sair no sete de setembro.
Tudo pra dar um toque de fidelidade e realismo e heroísmo. Ôigale!
Disneylândia por Disneylândia, ficção por ficção, prefiro a mais artística.
Fico tentadíssima a levar adiante um projeto como esse.
Não me chamem que eu vou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Saudades... sempre.

Saudades... sempre.
texto mais abaixo/ leia ouvindo Amália Rodrigues

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
Ôôpsss

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
Ôôôpppsss...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
puxa...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
ainda...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
Puxa, eu já vi esse filme...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
será?...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
Esse(s) é reprise... (ou o último dos irmãos Marx).

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
O espírito não morre?...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
?...

Desfile Farroupilha

Desfile Farroupilha
Ah!... agora, sim.